quarta-feira, 3 de junho de 2015

CARTA RESPOSTA ÀS CARTAS DOS ALUNOS

Na semana da Leitura (março 2015) as autoras Maria Alice Sarabando e Lília Gisela Cipriano estiveram com os alunos de 7ºano os quais escreveram cartas (incluindo fotografias deles em momentos de leitura) às personagens dos livros Ângulo giro e Eu só vejo cores e ainda do conto "Um tribunal na sala de aula" (in, Contos de um mundo com esperança). 
As autoras decidiram responder às várias cartas. Aqui fica a carta que deliciou os alunos. E é isto que faz mover uma escola e que dá ânimo para se continuar a luta diária.
Lombomeão e Paradita, Março de 2015
Queridos alunos das escolas de Arrifana e Milheirós de Poiares,
As nossas personagens julgavam-se figuras débeis, imprecisas como espectros, aprisionadas em livro fechado; mas ganharam vida com as vossas leituras e interpretações. Apreciaram a vossa música e a vossa dança. Comoveram-se com as vossas cartas e fotografias.
A Sara sentiu-se muito contente por a Rita Rodrigues ver nela um exemplo de boa disposição, amizade e altruísmo.
O Lourenço agradece as palavras de incentivo a que se mantenha num rumo de vida digno vindas de Ana Cunha, Jorge, Ana Brandão, Rita Rodrigues, André, Rafaela, Beatriz, Mariana, Diana, Daniela, Hélder e Ivo.
A Beatriz gostaria de satisfazer a tua curiosidade, Ana Rita Ferreira, sobre se ela e Rodrigo vão namorar, mas as autoras interromperam a história antes de isso ficar claro (se precisares, bate-lhes a elas), embora deem a entender que sim. Pelas vossas palavras, pensa que poderia vir a ser também muito amiga da outra Ana Rita, do Sandro e do Leonardo.
O Antônio Rodrigo apreciou enormemente a compreensão do Ruben, do Luís, do João e do Leonardo quanto aos problemas que o afetam, mas diz que tem um “eu” muito forte e estruturado, que sabe o que quer e já adquiriu uma noção muito segura das atitudes certas na vida. Dificilmente se deixará abater. E deixa umas palavras especiais para a Wency aconselhando-a a que se aplique no Português para mais facilmente poder comunicar e firmar as amizades que já tem.
Provavelmente os Cristas não ligaram nada às palavras do Jorge, da Jéssica, do Ruben e do David, mas vamos esperar que em algum deles tenha ficado um eco que o leve a mudar de atitudes.
O Miguel captou música muito bela nas palavras da Jéssica Barros.
O Bruno sentiu-se feliz por, com a sua história, ter levado a Tatiana e a Marília a refletirem sobre a ideia de preconceito.
Nós, as autoras, sentimos da vossa parte um carinho enorme que nos aquece como abraços. Para todos vocês, a nossa gratidão.
Maria Alice e Lília