quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

FAÇA LÁ UM POEMA

Este é o desafio do Plano Nacional de Leitura para incentivar o gosto pela leitura e pela escrita de poesia. O concurso termina a 18 de fevereiro e tem de ser submetido na plataforma do PNL através das bibliotecas escolares.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

SUGESTÃO DE LEITURAS PARA APRESENTAÇÃO ORAL

Temas relacionados com o Auto da Barca do Inferno
  • Anjo/Diabo/Bem/Mal
- O advogado do diabo *, Morris West
- Anjos e demónios *, Dan Brown
  • Sátira social
- Boca do Inferno, Ricardo Araújo Pereira
- Novíssimas crónicas da Boca do Inferno, Ricardo Araújo Pereira
- Mafalda, Quino
- As meninas, Lygia Fagundes Teles
- As aventuras do menino Nicolau, Sempé e Goscinny
  • Corrupção/Mentira
- O fiel jardineiro *, John le Carré
  •  Prostituição/Comércio sexual
- A rapariga que sonhava com uma lata de gasolina e um fósforo *, Stieg Larsson
  • Adultério/Casamento/Convenções sociais
- O primo Basílio, Eça de Queirós
- O crime do Padre Amaro *, Eça de Queirós
  • Falsidade religiosa/fanatismo religioso/educação religiosa
- Chocolate*, Joanne Harris
- Os fantasmas de Goya *, Milos Forman e Jean-Claude Carrière
- Manhã submersa *, Vergílio Ferreira
  • Perseguição aos judeus
- Diário de Anne Frank *, Anne Frank
- O rapaz do caixote de madeira, Leon Leyson
- Um dia, Morris Gleitzman
- A seguir, Morris Gleitzman
- O rapaz do pijama às riscas, John Boyne
- O Mundo em que vivi, Ilse Losa
- O violino de Auschwitz, Maria Angels Anglada
  • Tirania/Ambição
- O triunfo dos porcos *, George Orwell
- O diabo veste Prada *, Lauren Weisberger
- O grande Gatsby *, F. Scott Fitzgerald
  • Avareza
- O avarento, Molière
  • Vida/Morte
- A cadeira que queria ser sofá, Clovis Levi
- Os palhaços de Deus, Morris West

Temas relacionados com Os Lusíadas
  • Descobrimentos
- Um cheirinho de canela, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
- Viagem à Índia, Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada
- Chamo-me… Vasco da Gama, Zacarias Nascimento
- História trágico-marítima: narrativas de naufrágios da época das conquistas, adapt. de António Sérgio
  • Amor proibido/grandes amores
- A trança de Inês *, Rosa Lobato de Faria
- Tristão e Isolda *
- O amor de Pedro e Inês, José Jorge Letria
- Chama-me pelo teu nome *, André Aciman
- Grandes histórias de amor: o livro dos amantes, José Jorge Letria
- Nero e Nina, Mário Cláudio
- A história de Inês de Castro, Ângelo da Silva
- Romeu e Julieta, William Shakespeare
  • Determinação/Perseverança/Aventura
- Trash - Os rapazes do lixo, Andy Mulligan
- A cidade dos deuses selvagens, Isabel Allende
- As aventuras de João Sem Medo, José Gomes Ferreira

  • Monstros
- Que monstros fabricamos?, David Almond
  • Aventuras no mundo antigo
- O segredo dos deuses gregos, Mafalda Moutinho
- O mistério das catacumbas romanas, Mafalda Moutinho
- O enigma de Ulisses, Ana Soares (col. Olimpus.net)
- No mundo dos mortos, Ana Soares (col. Olimpus.net)
- No labirinto do Minotauro, Ana Soares (col. Olimpus.net)
  • Clássicos
-Odisseia de Homero, adapt de Frederico Lourenço
- A Eneida de Vergílio: contada às crianças e ao povo, adapt. de João de Barros
- A Odisseia: aventuras de Ulisses herói da Grécia Antiga, adapt. de João de Barros
  • Mitologia
- Mitologia - Deuses, Heróis e Lendas
- A grande história dos mitos gregos, Stephen Fry
- Contos gregos, António Sérgio
  • Luís de Camões
- Barbi-Ruivo, o meu primeiro Camões, Manuel Alegre

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

FAZER UMA ENTREVISTA

Imagina que tinhas a oportunidade de te encontrares com o dramaturgo Gil Vicente e podias conversar com ele durante algum tempo. Então, prepara a entrevista possível. Segue estes passos:

  • define o tema da tua entrevista;
  • prepara a estrutura, definindo, por exemplo: o título, o corpo da entrevista e uma conclusão;
  • define o número de perguntas e organiza-as;
  • .Não te esqueças de estruturar a entrevista, de preparar bem as questões e as respostas, de recorrer a uma linguagem corrente, clara e acessível ao público em geral.

domingo, 18 de novembro de 2018

TROVAS VICENTINAS - RUI VELOSO


Vós que vos ides por ganância
Debaixo da capa do cruzado
Buscando no incerto e na distância
A mina delirante do El Dourado

Vós que deixais só na retaguarda
Um farto gineceu desamparado
Não sentis testa que vos arda
Durante o sono repousante do soldado

Ouvi este ledo trovador
Por feitos de além-mar pouco tentado
Não se deixa uma esposa sem amor
Com o trevo da mocidade eriçado

E vê-las no poleiro das janelas
Gastando seus furores em vãs intrigas
É vê-las nas ribeiras com as barrelas
Contando o que só Deus sabe às amigas

Quanta malícia mal ardida
Tangem seus olhares pelas esquinas
Soubésseis os sorrisos de fugida
Que delas merecem minhas rimas

E víeis que melhor que a riqueza
É ter alguém à noite na cama
Que o diga a presunçosa e vã nobreza
Que goza a especiaria ao pé da dama

Por isso se as testas vos arderem
No lume verrinoso do adultério
Às línguas viperinas que vierem
Dizei que ardem pela grandeza do império

--------------
Ver também Inoportuna - Vilancete castelhano de Gil Vicente (aqui)

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

APRESENTAÇÕES ORAIS

Durante o primeiro período, cada aluno deve escolher um conto de um destes livros e fazer a sua apreciação crítica de acordo com as sugestões da página 53 do manual.

  • Histórias da terra e do mar (Sophia M. B. Andresen);
  • O dia cinzento e outros contos (Mário Dionísio);
  • A mulher que prendeu a chuva (Teolinda Gersão);
  • Bichos (Miguel Torga);
  • Novos contos da Montanha (Miguel Torga);
  • Aldeia Nova (Manuel da Fonseca);
  • Contos do Nascer da Terra (Mia Couto);
  • Contos completos (Gabriel Garcia Marquez);
  • Contos (Vergílio Ferreira);
  • Contos (Eça de Queirós).
  • Só resta o amor, Agustin Fernandez Paz
  • Uma Cana de Pesca para o Meu Avô - Gao Xingjian

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

CRÓNICA DE RICARDO ARAÚJO PEREIRA SOBRE A LÍNGUA PORTUGUESA

A gente somos um país muita curioso. Houveram eleições e, com base no que tínhamos visto e ouvisto na campanha eleitoral, votámos maioritariamente nos partidos que assinaram com a troika um acordo, digamos, difícil de cumprir. Mas hádem dizer-me quantos são, mesmo entre os que votaram no seu partido, aqueles que admiram, respeitam ou sequer toleram o trabalho e a figura de Miguel Relvas. O ministro não parece ser muito popular, derivado do seu envolvimento em alguns escândalos como, por exemplo, o da licenciatura. Mas nem por isso deslarga o poder. Entrou para dentro do Governo, há dois anos atrás, e ninguém o tira de lá. Para fora.
Prontos, mas as pessoas não são só defeitos. E Miguel Relvas tem o grande mérito de constituir um exemplo, parece-me a mim. Muitos desempregados não conseguem arranjar emprego por causa que têm habilitações a mais. Miguel Relvas obteve o seu com emprego mesmo tendo claramente habilitações a menos. Apontou para baixo e foi bem sucedido. Estabeleceu um objetivo mais modesto e atingiu-o. E ainda o acusam de ser muito ambicioso...
Os cortes no Estado social não são uma necessidade de poupança, são uma estratégia de futuro. Relvas deseja que o Governo faça cortes na educação porque ele próprio cortou na sua e venceu. Conhece, por experiência própria, as vantagens de desinvestir na educação. É um exemplo de sucesso de deformação profissional. Como cidadões, temos muito a aprender com ele. Ou a desaprender, já não sei.
Soares fala mal francês, Sócrates falava mal inglês e espanhol, e Relvas fala mal português. Quase todos os políticos que nos governam hoje falam mal português, aliás. Veja-se o caso de Angela Merkel. Saberá dizer duas, três palavras no máximo. Os nossos dirigentes sempre tiveram um problema com as línguas. E, tendo em conta o estado em que o país se encontra, também não parecem ser melhores nos números. Talvez tenham sido daqueles alunos que só eram bons em educação física.
in Boca do Inferno, 07-02-2013

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

SUGESTÃO DE LEITURAS PARA 2018/2019

No ano letivo que agora começa, a BE vai desenvolver o projeto de leitura "Ler para ser +". Assim, aqui ficam algumas sugestões de leitura no âmbito dos subtemas "Ser+ Saudável", "Ser+ solidário", "Ser+ sustentável".

sábado, 16 de junho de 2018

POEMAS BREVES

Trabalho de sala de aula, no final da unidade "Texto Poético".

Vida

Dormimos
Sonhamos
Imaginamos
Acordamos
Pensamos
Acreditamos
Falhamos
Conseguimos

E tudo isto é ser
E tudo isto é viver

Rui e Tomás



Manhã de nevoeiro

Não vejo junho pela janela
Decidiu partir
Sem sequer chegar.

A chuva bate,
As gotas escorrem,
São lágrimas no meu rosto.

Saí à rua
Crianças saltam de poça em poça
Um sorriso floresceu no meu rosto.

Sofia e Laura