sábado, 24 de outubro de 2015

ACORDAR

A propósito da crónica, género jornalístico estudado no 9ºano, foi pedido aos alunos que redigissem uma. A Isabel escreveu assim: 
Acordar 
Acordo de manhã, o silêncio espreita na porta, apenas o gato me diz bom-dia. Levanto-me, visto-me e sento-me no sofá. Enquanto tomo o pequeno-almoço, nem um pequeno barulho se ouve e a saudade e a monotonia instalam-se no meu coração. 
Ainda me lembro como tudo era antes de a minha progenitora emigrar. Ela acordava-me aos berros, fingindo já estar atrasada, de maneira a apressar-me. Ainda me recordo da agitação que se armava todas as manhãs. 
Como tudo mudou em meros segundos: num dia agitação, noutro dia monotonia. 
Como o meu coração grita de saudade!