sábado, 7 de março de 2015

MIURA - CORREÇÃO DE FICHA DE LEITURA

Aqui vos deixo a correção da ficha de leitura da página 169:
(pintura de Júlio Pomar)
2. Miura ardia numa chama de fúria porque estava encurralado, sem liberdade, à espera que chegasse a sua vez de entrar na arena.
3. Miura fez um esforço para refrear os nervos e medir com calma a sua situação.
4. Miura considera-se um ser livre e natural, criado livremente na lezíria, o que contrasta com a sua situação atual pois encontra-se preso num cubículo.
5. O seu corpo ficou inchado de raiva e empurrou desesperadamente as paredes do cubículo.
6. Miura pensa que os homens são uns cobardes pois encontram maneira de escapar à fúria do animal.
7. Dali a nada, ele seria o próximo a entrar na arena. Ele, Miura, o rei da campina, ali preso e humilhado, escravizado.
8. 1, Miura refugia-se, mentalmente no espaço onde cresceu: um descampado infinito, coberto de sol e de trigo, as noites são luarentas, é muito quente e ouve-se o estrídulo das cegarregas.
8.2 Este espaço, para ele, é evasão, uma fuga, um escape ao sofrimento em que se encontra.
9. Miura precisa de saber o que se passa no exterior para saber quando chegará a sua vez.
10. Miura entendeu por que motivo lhe espetaram um ferro quando ouviu o barulho da porta que se abriu e ele viu-se, repentinamente, na arena, rodeado por um mar de gente.
11. Miura tremia porque estava picado, fora agredido, a cólera e a angústia dominavam-no.
12. .1. Miura espantou-se por ver uma figura franzina, frágil, aparentemente sem força para lutar com ele e, mesmo assim, atreveu-se a enfrentá-lo.
12.2. Miura atacou-o porque foi incitado a isso pela multidão que gritava e batia palmas.
13. O homem combate com panos vermelhos, com paus e ferros, com fugas para trás dos tapumes.
14. O toureiro foi agredido por Miura, que lhe espetou os cornos na barriga, e retirado da arena, moribundo.
14.1 O público não reagiu porque apenas aplaude o heroísmo do toureiro e não o heroísmo do touro.
15. "Os olhos já lhe doíam..."(l. 139); "num sofrimento sem limites (l. 142); "sangue e suor corriam-lhe pelo lombo abaixo. (l.147); "mas não acabaria aquele martírio (l, 155).
16. Mais que o cansaço, é a humilhação que faz sofrer Miura.
16.1. Miura encontrou a maneira heroica de acabar com o sofrimento e a humilhação: morrendo, mais ninguém abusa dele e o humilha.