quarta-feira, 19 de novembro de 2014

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN

Vais ler esta biografia de Sophia de Mello Breyner Andresen e transformá-la numa autobiografia. Podes escolher o suporte que quiseres para apresentares o teu trabalho: power point, filme, registo áudio, cartaz...

Sophia de Mello Breyner Andresen, de origem dinamarquesa pelo lado paterno, nasceu a 6 de novembro 1919 no Porto, onde passou a infância. Entre 1936 e 1939 estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publicou os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia. 
Casada com Francisco Sousa Tavares, passou a viver em Lisboa e teve cinco filhos. 
Participou ativamente na oposição ao Estado Novo e foi eleita, depois do 25 de Abril, deputada à Assembleia Constituinte. 
Autora de catorze livros de poesia, publicados entre 1944 e 1997, escreveu também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. A sua obra está traduzida em várias línguas.
Recebeu entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana. 
Temas recorrentes na sua obra são o mar e os jardins, espaços de paz e amplitude. Com uma linguagem poética quase transparente e íntima, Sophia evoca nos seus versos os objetos, as coisas, os seres, os tempos, os mares, os dias. O contacto com a Natureza marcou profundamente a sua obra, por ser um exemplo de liberdade, beleza, perfeição e de mistério e está presente nas alusões à terra (árvores, pássaros, o luar) e nas referências ao mar (praia, conchas, ondas). A cidade constitui outro motivo frequentemente repetido na obra da escritora. A cidade é um espaço negativo. Representa o mundo frio, artificial, hostil e desumanizado, o contrário da natureza e da segurança. A civilização grega é, também, uma presença recorrente na sua obra através da sua crença profunda na união entre os deuses e a natureza.
A sua actividade literária e política pautou-se sempre pelas ideias de justiça, liberdade e integridade moral. 
Sophia de Mello Breyner Andresen faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa, e o seu corpo foi trasladado para o Panteão Nacional precisamente a 2 de julho de 2014, dez anos após o seu falecimento. 

Alguns dos seus títulos
                  Narrativa: 
  • Contos exemplares 
  • Histórias da terra e do mar 
  • A menina do mar 
  • O Cavaleiro da Dinamarca 
  • A floresta 
  • O rapaz de bronze 
  • A Fada Oriana 
  • A noite de Natal 
  • A árvore

      Poesia



  • O Dia do Mar
  • Coral 
  • No Tempo Dividido 
  • Mar Novo 
  • Livro Sexto 
  • O Cristo Cigano 
  • Geografia 
  • Grades 
  •  Dual 
  •  O Nome das Coisas 
  •  Navegações 
  • Ilhas 
  • Musa 
  • O Búzio de Cós 
  •         
                     Teatro:



  • O Bojador 
  • O Colar  

  • Fontes: 
    http://www.portoeditora.pt/campanhas/sophia-de-mello-breyner-andresen [consultado em 19/11/2014] 
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Sophia_de_Mello_Breyner_Andresen [consultado em 19/11/2014]