segunda-feira, 26 de setembro de 2016

CRÓNICA

Os pontos mais importantes a ter em conta sobre a crónica:
• Texto jornalístico que parte de situações do quotidiano;
• Assim como o repórter, o cronista inspira-se nos acontecimentos diários e dá-lhes um toque próprio, incluindo elementos como ficção, fantasia e crítica (que o texto essencialmente informativo não contém);
• O autor apresenta os acontecimentos diários e reflete sobre eles;
• É um texto curto e narrado na primeira pessoa, por isso apresenta uma visão totalmente pessoal de um determinado assunto: a visão do cronista que transmite ao leitor a sua visão do mundo;
• O autor usa um tom sério ou humorístico, ligeiro ou polémico.


A ARTE DA CRÓNICA
por, João Pereira Coutinho, "Estado crítico", in Expresso, 23 de julho de 2005 (adaptado)

A arte resume-se em 10 leis fundamentais:
1. A crónica não é um género jornalístico; a crónica é um género literário.
2. A crónica pode partir da realidade, mas, não raras vezes, a crónica cria a sus própria realidade.
3. A crónica não é análise nem comentário; a crónica é confissão e hipérbole.
4. A crónica não pretende formar ou influenciar; a crónica deve entreter e, se possível, opinar.
5. A crónica não vive da especialização; a crónica vive da diversidade.
6. A crónica vale pelo estilo e pela substância; em caso de conflito, sacrifique-se a substância.
7. A crónica não pondera opiniões contrárias à sua; a crónica pondera apenas uma opinião que seja contrária às outras.
8. A crónica não está certa ou errada, a crónica está apenas bem escrita ou mal escrita.
9. A crónica é pessoal; a crónica é um prolongamento do ego.
10. A crónica deve ser tão fácil de ler como de esquecer.